segunda-feira, maio 30, 2016

Um bairro que podia ser uma aldeia

Publicado na Revista Sábado em 5 de Maio de 2016 o guia sobre Roma. Na mesma página as músicas que Joaquim Albergaria se recorda quando evoca Roma. Podem ver aqui a dupla página.

UM BAIRRO QUE PODIA SER UMA ALDEIA 
Gosto de cidades grandes. Sim! Gosto de cidades grandes com pequenas aldeias dentro. Bairros coesos com habitantes que se relacionam, com comércio à medida das necessidades locais, com espaços onde os vizinhos se encontram e põem os assuntos em dia. Mas onde o ingresso dos “de fora” seja fácil e não excepcional e onde se possam misturar com os residentes. O Bairro Trastevere pareceu-me que corresponde a isto. Parei nesta encruzilhada de ruas estreitas, com umas mesas à porta de um pequeno bar debaixo de uma espécie de latada, com um empregado cá fora a fumar um cigarro. Encostei-me a uma das esquinas e registei o momento.


Caderno D&S de capa dura preta formato A6. Aguarela e caneta

5 comentários:

teresa ruivo disse...

O Trastevere é o sítio obrigatório quando vou a Roma, porque o João Pedro viveu numa dessas ruas dos 3 aos 17 anos. É mais romano que lisboeta. E tu apanhaste muito bem a seu ambiente, as suas cores, os ocres já com patine, e o fare niente muito próprio das pessoas!

Eduardo Salavisa disse...

Que experiência. Viver em Roma e no bairro Trastevere!! Também gosto muito deste bairro. Consegue manter alguma autenticidade. Apesar de, calculo, já estar muito diferente.

Miguel Antunes disse...

Vou lá a Roma este Verão. Mais uma sugestão :)
Pelo desenho tem pinta de Bairro Alto não?

Abraço!

Eduardo Salavisa disse...

Mais ou menos isso. Não percas. Atravessa o rio.

Miguel Antunes disse...

Tinha essa pinta :D

Já está anotado!
Deve ser cá uma cidade para desenhar!!!!!!

Abraço